O CAPITÃO E A SEREIA

  1. FICHA TÉCNICA
    Autor do texto original – André Neves
    Direção – Fernando Yamamoto
    Assistência de direção e registro – Paula Queiroz
    Dramaturgia – Fernando Yamamoto e o grupo
    Dramaturgo colaborador – Rafael Martins
    Consultoria de dramaturgia e direção – Marcio Marciano
    Cenografia e figurino – Wanda Sgarbi
    Assistentes de cenografia e figurino – Shicó do Mamulengo, Alexandre Amaral e André Ferreira
    Estagiária de cenografia – Gabriela Brito
    Costureira – Fátima Brilhante
    Caracterização – Mona Magalhães
    Direção musical – Marco França
    Preparação corporal – Helder Vasconcelos
    Preparação corporal/Contact Improvisation – Sávio de Luna
    Iluminação – Ronaldo Costa
    Produção – Rafael Telles
    Assistente de produção – Zeca Luz
    Fotografia – Maurício Cuca
    Fotógrafo colaborador – Pablo Pinheiro/Estúdio P
    Projeto gráfico – César Ferrario
    Criação e produção do vídeo – Marco França, César Ferrario e Wilberto Amaral
    Colaboração – João Lima e Adelvane Néia
    Secretariado – Arlindo Bezerra
    Mascote – Marim, um peixe Betta
    Realização – Grupo de Teatro Clowns de Shakespeare

    ELENCO
    Camille Carvalho, César Ferrario, Marco França e Renata Kaiser

    Classificação indicativa: 14 anos

    Responder

O Grupo de Teatro Clowns de Shakespeare montou esse espetáculo com base em um livro que conta a história de Marinho, um sertanejo que cresceu ouvindo histórias sobre o mar, o que o fez desenvolver a habilidade de criar narrativas a respeito dos mares. Ele forma, então, uma trupe de mambembes que encanta o alto sertão com suas histórias. Um dia, cansado, abandona o grupo para finalmente conhecer o mar. Na peça, cuja construção dramatúrgica é assinada por Fernando Yamamoto e Rafael Martins, o foco da narrativa é subvertido: em vez de contar a história do herói que parte em busca do seu sonho, o grupo narra a trajetória da trupe que ficou. Na espera pelo retorno do Capitão Marinho, a trupe constrói seu espetáculo, ou “desespetáculo”, já que o espetáculo supostamente não acontece, pela ausência do protagonista.

As cidades da região Norte (Rio Branco, Macapá e Porto Velho) receberam a peça como uma ação do Programa Petrobras Distribuidora de Cultura 2011-2012.