HISTÓRIAS POR TELEFONE

  1. Livremente inspirado na obra de Gianni Rodari
    Direção Carla Candiotto

    15 e 16/FEV
    às 16h

    ENTRADA FRANCA
    Os ingressos são distribuídos com 30 min de antecedência.

    ITAÚ CULTURAL

    Av. Paulista, 149 | Infos (11) 2168-1777
    Intérpretes de libras em todas as sessões.

    FICHA TÉCNICA
    Espetáculo livremente inspirado na obra de Gianni Rodari
    Dramaturgia – Pedro Guilherme
    Direção – Carla Candiotto
    Assistência de direção e coreografia – Adriana Telg
    Direção de arte (cenário e figurinos) – Mira Haar
    Assistência de arte – Julia De Francesco
    Iluminação – Wagner Freire
    Trilha sonora – Vinícius Calderoni e Tó Brandileone
    Design de adereços (telefonistas e pintinho) – Inês Sacai
    Confecção de adereços – Palhassada Ateliê
    Costureiras – Judite de Lima e Antonia Oliveira
    Cenotécnico – Marcos dos Santos
    Operador de som – Victor Merseguel
    Operador de luz – Marcos Tadeu Diglio
    Design gráfico – Lilian Citron
    Fotos – Alexandre Charro
    Realização – Companhia Delas de Teatro
    Produção executiva – Cecilia Magalhães

    ELENCO
    Companhia Delas de Teatro:
    Fernanda Castello Branco
    Julia Lanina
    Lilian Damasceno
    Paula Weinfeld
    Thaís Medeiros

    Duração: 50 minutos
    Classificação indicativa: a partir de 3 anos

Melhor espetáculo infantil de 2011 pela APCA (SP), com seis indicações ao Prêmio FEMSA, tendo arrebatado o de melhor direção, o divertido e bem-humorado Histórias por Telefone, da Companhia Delas de Teatro, tem texto livremente inspirado em Fábulas por Telefone, de Gianni Rodari (1920 – 1980), o maior escritor italiano para crianças do século XX. Rodari ganhou, em 1970, o Prêmio Hans Christian Andersen, considerado como o Nobel da literatura infantil.

No palco, seis pequenas histórias bem-humoradas, repletas de fantasia e delicadeza, contadas a partir de telefonemas de um pai para sua filha. Representante comercial, o senhor Bianchini passa seis dias por semana viajando pelo país para vender medicamentos. Acontece que sua filha só dorme depois de ouvir o pai.

Então, toda noite, onde quer que ele esteja, às 21h em ponto, telefona para lhe contar um caso inventado. Mas não é só ela que aguarda ansiosamente o telefone tocar. Do outro lado da linha, quatro curiosas telefonistas acompanham tudo em segredo, prontas para se ligar em mais uma aventura.

São sempre episódios curtos, pois falar ao telefone é caro. E o senhor Bianchini não falha! Em 50 minutos, o espetáculo propõe ao público uma viagem pelas divertidas, lúdicas, inusitadas e fantásticas narrativas contadas por ele.