FEDERICO GARCIA LORCA – PEQUENO POEMA INFINITO

  1. FICHA TÉCNICA
    Autores – José Mauro Brant e Antonio Gilberto
    Direção – Antonio Gilberto
    Cenografia e figurino – Ronald Teixeira
    Tradução – Roseana Murray
    Iluminação – Paulo César Medeiros
    Direção musical – Sacha Amback
    Programação visual – Maurício Grecco
    Fotos – Leo Aversa
    Produção – Lilian Bertin e Fabricio Polido
    Realização – Belazarte Realizações Artísticas

    ELENCO
    José Mauro Brant

    Classificação indicativa: 12 anos

    Responder

Indicada para o Prêmio Shell 2007 na categoria melhor ator, saudada pela crítica do jornal O Globo como “a surpresa da temporada teatral” e elogiada até pelo periódico El País, da Espanha, a peça Federico García Lorca: Pequeno Poema Infinito é assinada por José Mauro Brant e Antonio Gilberto, que também a dirige. Interpretado por Brant, o personagem central é o poeta e dramaturgo espanhol Federico García Lorca (1898-1936).

O espetáculo foi criado com base em uma conferência de Lorca realizada em 1933 chamada Como Canta uma Cidade de Novembro a Novembro, na qual o poeta fala de sua terra natal, Granada. Por meio da descrição do movimento contínuo das estações do ano, do folclore musical, das tradições do povo e das paisagens, Lorca revela suas mais marcantes experiências como artista e cidadão granadino.

Entre as muitas cidades pelas quais o espetáculo já passou, incluem-se Blumenau (Teatro Carlos Gomes), Londrina (Teatro Zaqueu de Melo) e Porto Alegre (Teatro Sesc Centro), com o patrocínio da Petrobras Distribuidora.