A ALMA IMORAL

  1. Adaptação de Clarice Niskier
    Supervisão da montagem Amir Haddad

    22/JAN
    às 20h

    ENTRADA FRANCA
    Os ingressos são distribuídos com 30 min de antecedência.

    ITAÚ CULTURAL
    Av. Paulista, 149 | Infos (11) 2168-1777
    Intérpretes de libras em todas as sessões.

    FICHA TÉCNICA
    Autor do livro A Alma Imoral – Nilton Bonder
    Adaptação, concepção cênica e interpretação – Clarice Niskier
    Supervisão – Amir Haddad
    Cenário – Luis Martins
    Figurino – Kika Lopes
    Iluminação – Aurélio de Simoni
    Música original – José Maria Braga
    Preparação vocal – Rose Gonçalves
    Direção de movimento –
    Márcia Feijó
    Preparação corporal – Mary Kunha
    Fotos – Dalton Valério
    Programação visual – Studio C
    Cenotécnico e Op. de luz – Carlos Pereira
    Operador de som – José Maria Braga
    Diretor de produção – José Maria Braga
    Realização – Niska Produções Culturais
    Assessoria de imprensa – JSPONTES Comunicação – João Pontes
    e Stella Stephany

    ELENCO
    Clarice Niskier

    Duração: 80 minutos
    Classificação indicativa: 18 anos

Comemorando em 2013 o oitavo ano consecutivo de sucesso, A Alma Imoral, de Clarice Niskier, desconstrói e reconstrói conceitos milenares da história da civilização – corpo e alma, certo e errado, traidor e traído, obediência e desobediência.
O texto da peça, que já ultrapassou a marca de 260.000 espectadores, tendo sido apresentado em 24 cidades brasileiras, é uma adaptação de Clarice Niskier do livro homônimo do rabino Nilton Bonder. A supervisão da montagem é de Amir Haddad.
Sozinha no palco e em contato direto com a plateia, a atriz conta histórias e parábolas da tradição judaica, utilizando somente uma cadeira panton preta e um grande pano preto que, criado pela figurinista Kika Lopes, transforma-se em oito diferentes vestes – mantos, vestidos, burcas, véus. O espaço cênico, concebido por Luis Martins, é limpo e remete a um longo corredor em perspectiva.

A peça encerrou seu primeiro ano em cena com três indicações ao Prêmio Eletrobrás de Teatro (melhor atriz, melhor peça e melhor figurino). No segundo ano, recebeu duas indicações ao Prêmio Shell (melhor atriz e melhor figurino), tendo vencido na categoria de Melhor Atriz. Em 2007, A Alma Imoral recebeu os Prêmios Caixa Cultural e Caravana Funarte de Circulação Nacional de Teatro e, em 2008, foi contemplada com o Prêmio Qualidade Brasil de Melhor Atriz.